Espaço de reflexão e de partilha dinamizado pelos professores do Grupo de Educação Especial de S. B. Messines
01 de Novembro de 2012

A hiperactividade provoca imensas dificuldades de aprendizagem ao aluno - actualmente também se denomina de: transtorno deficitário da atenção (DDA) ou desordem por défice de atenção com hiperactividade (DDAH).

 

Sinais de alerta:

Quando brincam, não se conseguem concentrar - desinteressam-se rapidamente e procuram outra ocupação; necessitam de vigilância constante; trocam de brinquedos com frequência; têm espírito de destruição, mesmo com seus próprios objectos; não se conseguem sentar à mesa para uma refeição; conseguem ver televisão por muito pouco tempo; falam bastante e mudam de assunto rapidamente; qualquer estímulo pode desviar a sua atenção; não finalizam uma tarefa de maneira adequada; são desorganizados com suas roupas e objectos.

 

Estratégias de intervenção em sala de aula

 

Aceite o aluno como ele é e mostre disponibilidade para o ouvir e auxiliar;

Quando se dirigir ao aluno utilize uma  linguagem clara e mantenha contacto visual - procure sempre saber se está ser compreendido;

Modifique e adapte as estratégias de intervenção - adaptando-se ao aluno, nomeadamente, dificuldades e necessidades;

Ofereça mais tempo ao aluno para terminar as tarefas;

Realize uma avaliação baseada nas aprendizagens do aluno;

Procure ajustar o ritmo da aula à capacidade de compreensão do aluno;

Demonstre rigor no cumprimento das  regras;

Seja calmo e optimista;

Verifique sempre se o aluno entendeu as instruções/explicações - pedindo-lhe que repita o que acabou de escutar;

Faça com que o aluno fale acerca da tarefa que está a fazer - para aumentar o seu período de atenção;

Ensine-o a adquirir hábitos e métodos de estudo, como: sublinhar conceitos importantes;

Ao longo da aula, reforce a importância de alguns conceitos, dizendo: “atenção”, ou “isto é importante” e modifique o tom de voz (para dar mais ênfase ao assunto);

Enquanto expõe a matéria, movimente-se e desloque-se pela sala;

Sempre que possível, sente o aluno na primeira fila, longe de janelas e outras fontes de distracção;

Construa listas de actividades e destaque todas as que exijam maior atenção, informando previamente o aluno de quando terá de as realizar;

Realize as actividades que exigem mais concentração no período da manhã;

Aproveite os momentos do dia em que a medicação produz maior efeito para apresentar tarefas mais exigentes;

Apresente actividades variadas que visem o desenvolvimento da atenção e da concentração, tais como: labirintos, puzzles, exercícios de discriminação visual, completar frases e lacunas, ordenar séries, procurar palavras, etc...;

Deixe que o aluno saia da sala por momentos - dando-lhe oportunidade de se movimentar um pouco antes de incomodar os restantes alunos;

Aplique reforços positivos/negativos de forma imediata - conforme a situação e valorize o esforço do aluno;

Ensine-o a perceber quais os conceitos que são importantes e os que não necessitam de ficar retidos na memória;

Comunique no início da cada aula o que vai fazer;

Utilize o relógio na secretária do aluno, para que este aprenda a controlar o tempo que demora a realizar as tarefas;

Divida as actividades em etapas e sugira que o aluno faça uma de cada vez - de forma gradual;

Ensine-o a cuidar, preservar e organizar o seu material escolar;

Auxilie a resolução dos problemas matemáticos por etapas sucessivas;

Utilize o computador para o treino da expressão escrita;

Peça ao aluno, numa fase inicial, para ler pequenos textos e aumente o tamanho e grau de dificuldade de uma forma progressiva;

Crie situações para o treino da velocidade da leitura;

 

As causas da hiperactividade podem ser de origem orgânica, neurológica, psíquica e psicológica, o factor hereditário também pode contribuir - o diagnóstico não deve ser feito por um único médico, mas sim por uma equipa  multidisciplinar.

 

Evite os testes de escolha múltipla - os alunos têm tendência para a confusão, ou podem ficar frustrados e assinalar os itens sem os ler;

Faça interrupções e intervalos durante a exposição de matérias demasiado longas;

Sempre que o aluno perturbar o funcionamento da aula - introduza na aula um momento de silêncio absoluto e convide os colegas a prestar atenção ao ruído que ele está a provocar;

Discipline o tempo de resposta do aluno - peça-lhe que espere 15 segundos até dar a resposta - para que aprenda a pensar antes de responder;

Cultive a proximidade do aluno com um colega com o qual estabeleceu uma boa  relação e que represente um bom modelo;

Nos TPC, enfatize os conteúdos apresentados em cada aula - que permitam a revisão da matéria dada;

Procure envolver a turma numa dinâmica de grupo - para que todos se empenhem em melhorar o ambiente da sala de aula.

 

A hiperactividade não tem cura, porém, pode ser controlada com psicoterapia, actividade física e, nos casos mais graves com medicação.

 

Novembro 2012, Documento de Partilha do Grupo de Educação Especial de São Bartolomeu de Messines



publicado por utmessines às 23:18
Novembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Posts mais comentados
1 cometário
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
últ. comentários
Sistema de Comunicação Multiplataforma totalmente ...
Boa tarde,Gostaríamos de lhe fazer uma proposta de...
visitantes

Contador gratis
blogs SAPO