Espaço de reflexão e de partilha dinamizado pelos professores do Grupo de Educação Especial de S. B. Messines
03 de Fevereiro de 2013

A multideficiência é o conjunto de 2 ou mais incapacidades ou diminuições de ordem física, psíquica ou sensorial.

A multideficiênciaA multideficiência impossibilita o indivíduo de interagir com o meio e reduz as possibilidades de maturação espontânea e/ou de apropriação - afectando todo o processo de aprendizagem e de desenvolvimento. Para uma criança ser considerada multideficiente é necessário a realização de um diagnóstico que se torna muito delicado, na medida em que, existem várias situações de enquadramento: pessoas portadoras de deficiência mental profunda, embora apresentem outros défices associados; pessoas que exibem um comportamento adaptativo comparado com o esperado de uma pessoa com deficiência mental profunda, mas cuja causa é a deficiência ou deficiências associadas e não a deficiência mental; pessoas que poderão ser consideradas deficientes mentais profundas, mas que podem, de facto, ter como causa dominante do seu nível de desempenho em provas de inteligência ou comportamento adaptativo, uma psicose ou autismo; Todavia, segundo várias pesquisas efectuadas a causa mais frequente da multideficiência é a Paralisia Cerebral, a qual prejudica a postura e a mobilidade do indivíduo. Contudo, para além desta, existem outras causas a ter em consideração, uma vez que os problemas diagnosticados se relacionam com o momento de ocorrência do problema, os agentes que afectam e a forma como actuam.Uma criança multideficiente apresenta um quadro complexo específico e bastante individualizado resultante de alterações nas funções motoras devido a limitações do sistema ósseo-articular, muscular e/ou nervoso, que limita, de modo variado, as actividades e interacções da criança.
Características
No que se refere à actividade e participação o multideficiente pode apresentar dificuldades em:
mudar as posições básicas do corpo;
manter a posição do corpo;
proceder a auto-transferências;
levantar e transpor objectos;
mover objectos com os membros inferiores;
realizar acções coordenadas de motricidade fina;
utilizar em acções coordenadas a mão e o braço;
andar;
deslocar-se excluindo a marcha.

Muito embora a multideficiência seja caracterizada, fundamentalmente, por limitações ao nível motor, as crianças podem apresentar outras problemáticas relacionadas com o domínio cognitivo, atenção, com as emoções e/ou a comunicação, tanto na vertente receptiva como na expressiva.
Necessidades dos multideficientes
A interacção das dificuldades e necessidades da criança com multideficiência representa um grande desafio em termos educativos. Esta criança pode revelar um conjunto muito variado de necessidades mediante a problemática que apresenta.    
Podemos agrupar as suas necessidades em 3 blocos:
necessidades físicas e médicas;
necessidades educativas;
necessidades emocionais.

Muitas das necessidades das crianças multideficientes são idênticas às necessidades dos deficientes profundos. Todavia, a perda ou diminuição da função dos sistemas sensorial e motor eleva o grau de necessidade de se fazer uma intervenção adequada junto das crianças, em questões educacionais. Cada criança apresenta necessidades diferenciadas de acordo com as suas capacidades/características pessoais, que exige atitudes diferenciadas, por parte da escola. No que refere às necessidades emocionais da criança com esta problemática, estas reflectem-se na carência de afecto e atenção, de oportunidades para interagir com o contexto à sua volta desenvolvendo, deste modo, relações sociais e afectivas quer com os seus pares, quer com os adultos que a rodeiam. Decorre deste tipo de necessidades a aplicação de abordagens e estratégias diferenciadas, devidamente planeadas de forma sistemática no âmbito de um processo de colaboração de tomada de decisões. Desta forma privilegia-se o modelo transdisciplinar, onde as tomadas de decisões têm o carácter grupal, o que promove a inclusão. Nos serviços de Educação Especial, a criança/jovem terá o apoio necessário dos diversos técnicos a fim de elevarem as suas capacidades, designadamente:ü        professor/educador; auxiliares de educação; psicomotricista; terapeuta da fala; terapeuta ocupacional; psicólogo; entre outros, cuja preocupação deve centrar-se no trabalho das áreas psicomotora, cognitiva, perceptiva-motora, sócio-afectiva e autonomia pessoal e social. Neste sentido, a criança/jovem com multideficiência deve ser estimulada a todos os níveis devendo beneficiar de actividades diversificadas no âmbito da psicomotricidade, da terapia ocupacional, da fisioterapia, da terapia da fala, de apoio psicológico, da estimulação global (ou estimulação académica numa fase inicial), da expressões musical e dramática, da natação ou actividades aquáticas, da autonomia pessoal e social - a fim de abordar e desenvolver ao máximo a sua autonomia pessoal no que concerne à higiene, alimentação, segurança, entre outras.

in Documento de Partilha do Grupo de Educação Especial de São Bartolomeu de Messines, Fevereiro, 2013



 

publicado por utmessines às 20:34
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados
1 cometário
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
links
últ. comentários
Sistema de Comunicação Multiplataforma totalmente ...
Boa tarde,Gostaríamos de lhe fazer uma proposta de...
visitantes

Contador gratis
blogs SAPO